Recentemente o Journal of Nueroscience publicou um estudo da University College London, no qual se tenta demonstrar e explicar a habilidade dos pilotos de Aviões Caça de trabalhar sobre enormes pressões físicas e emocionais se deve ao modo como o seu cérebro se adaptou ao treino intensivo, e possivelmente o nascimento do piloto já com algumas destas características evidenciadas. O estudo evidenciou diferenças na massa branca cerebral que é constituída pelas fibras (axónios) que interligam os neurónios, e nas conexões do hemisfério direito do cérebro, quando comparados com outros voluntários que não eram pilotos.

A ideia de investigar os cérebros dos pilotos de aviões caça surgiu porque os Pilotos de Força Aérea são treinados para voar a velocidades supersónicas e a baixas altitudes e em diversas condições de relevo, quer seja urbano ou não. Para se conseguir pilotar um Avião Caça é necessário um controlo absoluto para lidar com qualquer erro possível, ou seja, a disciplina dos pilotos de Aviões Caça está nos limites da capacidade cognitiva humana.

O estudo foi feito com base em 11 pilotos de Aviões Caça Panavia Tornado, da Força Aérea Real Britânica. O Panavia Tornado é um avião jacto bi-motor capaz de atingir a velocidade de Mach 2.2 (2.350 km/h). Foram feitos testes cognitivos visuais aos pilotos seleccionados, com o objectivo de medir a precisão com que conseguiam responder a um alvo enquanto estavam a ser distraídos. Ainda não está 100% comprovado se os pilotos nascem com essas diferenças nas conexões cerebrais ou se as desenvolvem com o intensivo treino.

Este estudo vem fundamentar ainda mais as minhas próprias conclusões, que para ser um piloto de Aviões Caça, o nosso corpo tem de ser treinado em diverso níveis, ou quem sabe talvez já nascer com as tais diferenças a nível cerebral evidenciadas. A capacidade do corpo suportar pressões várias vezes superiores à pressão atmosférica requer um treino intensivo, o que leva ao limite o corpo humano, e onde nem sempre a fisionomia de todos os que querem consegue chegar.

Eu como apaixonado pela aviação tenho cada vez mais certezas que os verdadeiros pilotos de Aviões Caça são a elite dos pilotos, onde muito poucos conseguem entrar e atingir a perfeição.

Porquê é que é que os Helicópteros não Voam mais Depressa?

No princípio dos anos 40, quando apareceram os primeiros helicópteros totalmente controláveis, o principal objectivo deste tipo de aeronave era aterrar e descolar verticalmente e onde a velocidade não era o elemento mais importante.

O helicóptero Bell-47B com duas pessoas a bordo já alcançava os 140 km\h, isto durante o ano de 1946. No entanto no final dos anos 50 algumas aeronaves já conseguiam atingir os 260 km\h, e esse era o limite para os anos que corriam, nenhuma aeronave conseguia ultrapassar a barreira dos 300 km\h.

A grande dificuldade encontrada pelos engenheiros aeronáuticos no final dos anos 50 e início dos anos 60 era a impossibilidade de ultrapassar a barreira dos 300 km\h. Mas porquê é que não se conseguia ultrapassar essa velocidade?

A Aerodinâmica é o Principal Problema.

O Helicóptero ao descolar verticalmente, as pás do seu rotor atingem o ar com a mesma velocidade, e com a alteração do ângulo de ataque das pás do rotor elas conseguem gerar sustentação, direccionando o ar no sentido descendente e impulsionando a aeronave no sentido ascendente.  Mas o verdadeiro problema reside quando o helicóptero se desloca na horizontal.

Um dos problemas de aumentar a velocidade de rotação das pás é o facto de a ponta da pá começar a entrar num regime supersónico, alterando a compressibilidade do ar e a aerodinâmica para a qual a pá foi desenhada.

Para tentar resolver este problema, no final dos anos 70 a companhia Westland Helicopter uniu esforços com a Royal Aircraft Establishment e iniciaram uma pesquisa à qual chamaram BERP (British Experimental Rotor Programme), onde o principal objectivo era aumentar a velocidade e a capacidade de carga dos rotores.

Foi então que surgiu o helicóptero Westland Lynx , que possuía um design da pá do rotor muito eficiente em altas velocidades e construída em material composto com maior resistência a grandes esforços.

O recorde de velocidade foi atingido pelo Westland Lynx em 1986 conseguindo ultrapassar a marca dos 400 km\h. No entanto outras empresas tentaram evoluir as suas aeronaves, ou seja, tentando conjugar a versatilidade do helicoptero com a velocidade do avião. Na tentativa de aumentar a velocidade de ponta dos helicópteros a Sikorsky Aircraft iniciou uma pesquisa à qual chamou ABC (Advancing Blade Concept) e criou o Sikorsky S-69, que atingia 296 km\h.

Em 2008 a Sikorsky realizou o primeiro voo com a sua nova aeronave Sikorsky X2, e desde então tem vindo a melhorar e a testar a sua performance. Em Setembro deste ano (2010) a empresa revelou que tinha alcançado uma velocidade de 460 km\h, batendo assim o recorde do Westalnd Lynx.

A Eurocopter também não está indiferente á tentativa de aumentar a velocidade das suas aeronaves e revelou recentemente que já está a desenvolver à cerca de 3 anos uma aeronave de alta velocidade, e que promete revolucionar o conceito de voo do helicóptero. A aeronave foi apelidade de X3, e ainda não efectuou qualquer voo de alta velocidade.

Sikorsky X2                                                                                      Eurocopter X3

Em conclusão, podemos afirmar que muito dificilmente, ou mesmo nunca conseguiremos ter a velocidade de um avião ( > 700 km\h) conjugada com a versatilidade do actual conceito de voo dos helicópteros.

A Água Salgada Congela?

Para Responder a esta questão de uma forma curta e sintética, sim, a água salgada também congela. Quando se atinge o ponto de solidificação da água as moléculas agrupam-se em forma de cristal, chamando-se estrutura cristalina.

O que acontece é que as moléculas de sal (Cloreto de Sódio) não encaixam bem numa estrutura cristalina, o que dificulta a solidificação da água salgada. Farenheit descobriu que para congelar a água quimicamente pura era necessária uma temperatura de 0ºC. Com isto podemos concluir que quanto maior for a concentração de sal na água, mais baixa será a temperatura necessária para que esta solidifique.

É por este motivo que a água dos mares (agua salgada) necessita de uma temperatura mais baixa para que se forme gelo, enquanto a água dos rios e lagos (água doce) para solidificar necessita de uma temperatura de 0ºC.

Este exemplo é em tudo semelhante ao exemplo que se ouve regularmente que é muito mais fácil um corpo flutuar no Mar Morto do que em qualquer outro mar\oceano.

Porque é que o gelo flutua em água?

Apesar de serem ambos constituídos pela mesma matéria estão em estados físicos diferentes e é isso que lhes confere uma densidade diferente. A água quimicamente pura em estado liquido tem uma densidade de aproximadamente 1.0 g\cm3 enquanto a densidade do gelo é de aproximadamente 0.92 g\cm3. Como o gelo é menos denso que a água este flutua sobre ela.

Porque é que se flutua mais facilmente sobre água Salgada do que sobre água Doce?

A densidade da água altera-se consoante a quantidade de sais dissolvidos, é por esse motivo que a água salgada é mais densa que a agua doce. Quanto maior for a dissolução de sais de Cloreto de Sódio (NaCl) em água maior será sua densidade, mas isto só se verifica até ao ponto em que se dá o equilíbrio químico, isto é, quando determinada quantidade de água não é capaz de dissolver mais do que determinada quantidade de um sal.

A flutuabilidade é facilitada em água salgada porque esta é mais densa que a água doce. Concluindo a flutuabilidade depende do estado da matéria em questão e da sua própria densidade.

Overclocking

Overclocking, ou mesmo Overclock é o nome dado ao processo de aumentar a frequência de funcionamento de um componente de um computador. Os componentes de um computador (processadores, placa gráfica, memória RAM) funcionam a determinadas frequências, e essas frequências são medidas em Hertz.

Apesar de haver diversas razões que levam um utilizador a fazer Overclock na sua máquina, a principal é o aumento do desempenho. Os fabricantes de hardware definem para os seus componentes uma frequência de trabalho relativamente modesta para as capacidades reais do hardware, isto acontece porque os fabricantes tem como objectivo também a durabilidade.

O Overclocking não só aumenta o desempenho dos componentes, mas aumenta também o consumo energético e a produção de calor, além de diminuir a durabilidade dos componentes.

As Principais Vantagens do Overclock são o aumento do desempenho de um componente, permitindo poupar algum dinheiro uma vez que se pode colocar um componente de gama mais baixa e consequentemente mais barato a funcionar a uma frequência superior à definida de origem.

Mas nem tudo são Vantagens, pois esta técnica origina um aumento na temperatura dos componentes, necessitando assim de uma melhor refrigeração. Aumenta também o consumo energético e diminui o tempo de vida útil do componente.

Concluindo, o Overclock desde que seja moderado e convenientemente controlado permite obter uma melhor performance de um ou de todos os componentes em geral de um computador…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...